Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vamos lá ter um bebé!

Achavam que iam encontrar resposta para os dramas da maternidade? Não! Este blog conta a experiência de 2 pais inexperientes que ainda estão aprender a diferença entre body e babygrow. Prometemos doses de riso e muito amor!

O pós-parto.

E passaram os primeiros dias de vida da Diana...parece que foi ontem e parece que foi desde sempre!

 

Não sabia bem por onde começar este post mas sabia que o tinha que começar... até agora este blog foi focado na gravidez e em todos os seus derivados. Nessa época grandiosa (em todos os sentidos) da mulher (e do homem, claro!).

Mas agora acabou.

Agora começou um novo capitulo e eu confesso que ainda estou meia apardalada com tudo isto. Escrevi, apaguei, escrevi apaguei...este post levou algum tempo a começar. Está tal e qual os meus dias, levam algum tempo a começar.

 

Neste primeiros dias as minhas capacidades motoras estavam muito muito reduzidas o que me impediu de participar nos primeiros eventos da minha filha - não consegui mudar-lhe as primeiras fraldas, não consegui ir ao primeiro banho, não consegui fazer-lhe a primeira massagem para os gases... parecem coisas pequeninas e dizem vocês "Ah, vais ter muito tempo para limpar cócós". É verdade. Mas para um pessoa que teve 9 meses à espera desta criatura e mais 20 horas em trabalho de parto, acreditem, tudo o quer é poder participar na vida dela. E a vida dela são cocós e gases!

Foi aqui que senti alguma impotência e entreguei a miúda completamente aos cuidados do pai (estava na altura dele ser ativo no processo.. e tão bem que ele se saiu, que orgulho!). 

E este sentimento de "quero fazer coisas mas estou presa a uma cama com 7 pontos e uma valente anemia" deitou-me um bocadito a baixo nos primeiros dias. Não sei se sou só eu, mas este sentimento é algo que não se aprende nos curso de pré parto e que em geral ninguém partilha...

 

Mas se os dias na maternidade são difíceis, o chegar a casa e não ter o botãozinho vermelho para puxar e saltarem enfermeiras como cogumelos é assustador. Havia um mixed feelings relativamente ao chegar a casa.. por um lado a ideia de fazer ninho era excelente, por outro a sensação de responsabilidade era avassaladora.

 

Avassaladora. Esta é para mim a palavra certa para descrever os primeiros dias pós-parto. 

 

Avassalador é este bebé ser completamente dependente de nós. Avassalador é saber que a maior parte das vezes tenho que confiar no meu instinto. Avassalador é pensar que o que faço com ela hoje terá impacto no amanhã. Avassalador é um bebé a chorar há 2 horas e não saber o que tem nem como aliviá-lo. Avassalador é ter as maminhas em sangue e mesmo assim querer continuar a dar de mamar. Avassalador é quando o pai tem de voltar ao trabalho. Avassalador é o sono que tenho (tenho tanto sono!). Avassalador é não conseguir tomar banho sem ter mais alguém em casa. Avassalador é lembrar-me de jantar à meia noite e meia. 

Avassalador é este amor por esta bebé. É infinito, é inexplicável.

 

E devagar, muito devagar, as feridas do parto ficam curadas, as rotinas criam-se e o que era avassalador passa a fazer parte e por isso passa a ser um desafio. Devagar, muito devagar, volto a respirar um bocadinho fora da bolha. Devagar, muito devagar o caos passa a ser a vida, o dia a dia. 

E o dia a dia é mágico. =)

A mãe.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub